Arquivo da tag: Mapeamento

Governo do Estado lança Mapeamento da Cobertura Vegetal da Bahia

Governo da Bahia lança o Mapeamento da Cobertura Vegetal do Estado, executado por Consórcio de empresas de Geotecnologias, sob a liderança da GEOAMBIENTE.

Acompanhe o release abaixo publicado na MundoGeo.

Estado da Bahia possui três biomas terrestres, com seus diversos tipos de vegetação nativa: o Cerrado, a Caatinga e a Mata Atlântica

Durante o evento de assinaturas de decretos e lançamentos de projetos que aconteceu no último dia 5 de junho, visando o fortalecimento da gestão ambiental no estado, o governador Rui Costa lançou a portaria conjunta entre a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), instituindo o Mapeamento da Cobertura Vegetal da Bahia.

A atividade permeia um sistema automatizado de gestão florestal, que acompanhará as atividades de desmatamento e de reflorestamento nos três biomas baianos, sendo instrumento de gestão florestal nos termos da Lei no 10.431, de 2006, e do Decreto Estadual no 15.180, de 2014.

O estado da Bahia, nos seus quase 600 mil quilômetros quadrados de extensão territorial, possui três biomas terrestres, com seus diversos tipos de vegetação nativa: o Cerrado, a Caatinga e a Mata Atlântica.

coberturavegetalbahia

Segundo a diretora-geral do Inema, Márcia Telles, auxilia o importante e fundamental monitoramento da vegetação nativa. “É necessário acompanhar o processo de uso e ocupação do solo, que resulta em variados tipos de alterações no território e, consequentemente, nos ambientes naturais. Entretanto, os mapeamentos da cobertura vegetal anteriores de nosso estado ou estão em escalas incompatíveis com as atuais necessidades de aplicação da política ambiental ou encontram-se defasados”, afirmou a diretora.

Algumas ações que serão diretamente aprimoradas com o novo mapeamento, por meio da qualificação e consequente celeridade das análises, são as atividades de licenciamento, fiscalização, monitoramento, gestão de unidades de conservação, da biodiversidade e dos recursos hídricos, além servir de insumo para projeção de cenários de expansão de setores econômicos.

Para a realização dos trabalhos foram contratados dois consórcios de empresas especialistas na área: o Consórcio Geobahia – liderado pela GEOAMBIENTE, que executou o mapeamento da vegetação nativa em todo o estado; e o Consórcio Geo Senografia-Viasat, que apoiou a validação dos produtos do mapeamento.

Os produtos estarão disponíveis para a consulta pública por meio do sistema SIGweb Geobahia.

Please follow and like us:

Geoambiente inicia execução do novo inventário florestal da vegetação nativa do Estado de São Paulo

Mapeamento estadual se inicia nessa quinta-feira, (21), Dia Internacional das Florestas

geoambiente_SIMASP
A Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) por meio do Instituto Florestal contratou um novo Inventário Florestal da Vegetação Nativa do Estado de São Paulo.

O estudo se inicia nesta quinta-feira, 21 de março, Dia Internacional das Florestas e tem como prazo para ser concluído março de 2020. Até lá, o levantamento apresentará balanços trimestrais com os dados levantados para o documento.

“O Inventário é base para o fortalecimento e planejamento de ações sustentáveis do Governo que garanta ao povo paulista mais qualidade de vida”, explica o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente Marcos Penido.

No último mapeamento realizado em 2010, foi apontado que 17,5% do território paulista é coberto por vegetação nativa.

“Com a execução em andamento de diversos projetos da Secretaria como o Programa Nascentes, Conexão Mata Atlântica, Município Verde Azul, Zoneamento Ecológico-Econômico e outros, tenho uma perspectiva positiva desse novo estudo”, afirma subsecretário de Meio Ambiente Eduardo Trani.

A empresa especializada em soluções de geotecnologia e sistemas de informação geográfica, Geoambiente será a responsável pelo estudo de R$1,4 mi, viabilizado com recursos da Câmara de Compensação Ambiental do Estado de São Paulo.

“A expectativa desse novo mapeamento é que ele mostre da forma mais fiel a realidade atual de nossa vegetação natural, desde as grandes áreas até os mais pequenos fragmentos, que têm grande importância para a manutenção e recuperação da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos de nosso Estado, aumentando a eficiência das ações da SIMA”, explica o pesquisador científico do Instituto Florestal e coordenador do projeto Marco Aurélio Nalon.

O novo mapeamento servirá de base para todas as ações da SIMA de licenciamento, fiscalização, conservação e pesquisa ambiental.

Os primeiros resultados serão das regiões do Vale do Paraíba, Litoral Norte, Baixada Santista e Região Metropolitana de São Paulo e serão divulgados a medida que estas regiões estiverem completamente mapeadas.

Ao longo dos anos, o Inventário tem fornecido suporte científico fundamental para embasamento de políticas públicas setoriais para orientar as estratégias de preservação e restauração da biodiversidade nativa do Estado.

O documento apresenta de acordo com sua importância biológica os fragmentos de mata para a criação de Unidades de Conservação Integral de áreas prioritárias para a implantação de Reserva Legal ou Reserva Particular de Patrimônio Natural e para Restauração (corredores ecológicos) interligando fragmentos de vegetação nativa.

Fonte: https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/2019/03/sao-paulo-contrata-novo-inventario-florestal-da-vegetal-nativa/

Please follow and like us:

Trabalho em contato direto com a natureza

Talvez uma das maiores recompensas dos projetos da Geoambiente de Sensoriamento Remoto combinados com trabalhos de campo é estar em contato direto com a natureza e se deslumbrar com as mais diversas paisagens ou elementos que só ela pode nos oferecer.
Um dos nossos Analistas de Geoprocessamento, Gabriel Baioco, com o uso de drones para um de nossos projetos de mapeamento das áreas florestais de Minas Gerais, fez a gentileza de registrar e nos passar algumas imagens que refletem um pouco sobre o que estamos falando.

Confira as imagens registradas:

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (10)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (9)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (8)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (7)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (6)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (5)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (4)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (3)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (2)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (1)

Please follow and like us:

Geoambiente em destaque no XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto

SBSR

Izabel Cecarelli, Carina Rodrigues e Bruno Schultz estão representando a Geoambiente no XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, em Santos.
Em meio a vários trabalhos em apresentação nestes quatro dias de evento (28 a 31 de maio), a Geoambiente se destaca na exposição de três trabalhos:

· FIELD COLLECTOR: Aplicativo desenvolvido para inspeção ambiental de linhas de transmissão de energia elétrica (co-autores do projeto: Izabel Cecarelli, Maíra Dzedzej, Dione dos Santos e Tiago Pinheiro);

· Mapeamento automático da expansão da agricultura anual no MATOPIBA, entre 2002 e 2015, utilizando a plataforma GOOGLE EARTH ENGINE e

· Mapeamento e classificação de risco às queimadas – linhas de transmissão de energia elétrica (co-autoria de Carina Rodrigues, Maíra Dzedzej, Luciana Arasato e Julio Guerra).

Durante o XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 160 trabalhos aprovados, ao todo, estão sendo apresentados por empresas privadas, universidades, instituições de pesquisa, fundações, ao público técnico-científico das áreas de Sensoriamento Remoto e Geotecnologias.

Please follow and like us:

Presença da Geoambiente na AGRISHOW 2017

Entre os dias 1 a 5 de maio, a GEOAMBIENTE participou como expositora na AGRISHOW 2017.

geoambiente_agrishow2017_stand

No evento, o público pôde conferir os lançamentos da Geoambiente, como o AGRODECISÃO e o GO FIELD COLLECTOR.

18209030_1417649218257616_8842708462783231635_oO AGRODECISÃO é uma PLATAFORMA REVOLUCIONÁRIA para o AGRONEGÓCIO , que oferece ao usuário acesso e visualização de dados e informações de ÁREA PLANTADA e MARCHAS DE PLANTIO (soja e agricultura), em MAPAS e TABELAS, categorizados por municípios, estados ou região.
O usuário do AGRODECISÃO poderá manipular os aplicativos fornecidos pela plataforma, para a realização de análises das informações (em tempo quase real), dentro e entre os anos safra.
Com a contratação do AGRODECISÃO, todos poderão receber acesso às informações atualizadas online durante o ano safra.

18221613_1417560158266522_8814369152133506295_nJá o GO FIELD COLLECTOR é o sistema que traz praticidade e rapidez aos projetos que envolvem trabalho de campo.
Com 2 versões complementares: mobile e web, o profissional fica livre de levar tantos materiais ao campo para a coleta de dados, já que o GO FIELD COLLECTOR, no dispositivo móvel, permitirá o registro de fichas de campo com localização automática e associação de fotos às respectivas fichas, com grande ganho de tempo.
Todos os dados registrados são armazenados em nuvem, oferecendo alta segurança e praticidade ao profissional durante a coleta de dados em campo.
A versão web permitirá o download daqueles mesmos dados, com visualização e edição dos dados sobre mapas, exportação em KML e a produção final do RELATÓRIO COMPLETO com cada ficha de campo.
Com o uso do GO FIELD COLLECTOR, o GANHO DE TEMPO é de até 75% em todo o projeto!

A equipe Geoambiente ficou muito feliz em participar mais uma vez da AGRISHOW, podendo mostrar ao público visitante e aos outros expositores todos os serviços e produtos que a empresa oferece ao público do AGRONEGÓCIO.

Please follow and like us:

GEOAMBIENTE encerra com chave de ouro o projeto para a Semace

geoambiente_semaceNa sexta-feira, 09/12/2016, a Geoambiente, representada por sua diretora Izabel Cecarelli e pelo Geógrafo Alex Sousa, esteve presente no Palácio da Abolição, sede do Governo do Estado do Ceará para apresentar os resultados do projeto Reestruturação e Atualização do Mapeamento do Zoneamento Ecológico-Econômico da Zona Costeira e Unidades de Conservação Costeiras do Estado do Ceará.

A cerimônia foi presidida pelo Governador do Estado do Ceará, Camilo Santana e a mesa foi composta pelo Secretário Estadual do Meio Ambiente, Artur Bruno, pelo Superintendente da Semace, José Ricardo Araújo Lima e grande número de autoridades e representantes da sociedade com assento no Conselho Estadual do Meio Ambiente.

geoambiente_semace_mesa

Com os resultados do Projeto desenvolvido pela Geoambiente, o Governo do Ceará terá mais elementos para atrair investimento que promovam o crescimento econômico e o desenvolvimento sustentável.

10

 

geoambiente_semace_alex

Além disso, os resultados do estudo ajudarão no planejamento territorial e no estabelecimento de diretrizes para o zoneamento da faixa costeira do Estado, precisão no posicionamento cartográfico das unidades mapeadas, facilitando suporte técnico à Semace na execução de suas atividades de planejamento, fiscalização, licenciamento e monitoramento ambiental.

geoambiente_semace_conclusaoprojeto
Izabel Cecarelli (Diretora da Geoambiente) entrega marco do projeto a José Ricardo Araújo Lima (Superintendente da Semace) pela conclusão do projeto “Reestruturação e Atualização do Mapeamento do Zoneamento Ecológico-Econômico da Zona Costeira e Unidades de Conservação Costeiras do Estado do Ceará”.
geoambiente_equipe_semace
Equipe Geoambiente do projeto para a Semace.


Breve ficha técnica do projeto:

Coordenação do Projeto
André Luis de Pádua Santos, Engenheiro Cartógrafo
Júlio Bandeira Guerra, Geógrafo, Mestre em Sensoriamento Remoto

Coordenação Técnica dos Mapeamentos de Unidades Geoambientais, Potencialidade de Uso e Capacidade de Suporte a Impactos Cumulativos e de análise ambiental integrada
Alex da Silva Sousa, Geógrafo, Mestre em Geografia Física 

Coordenação Técnica do Mapeamento de Uso e Cobertura do Solo
Rogério de Sousa Bueno Silva, Engenheiro Ambiental

Confira algumas fotos do evento:

 

Please follow and like us:

Faça sol ou faça chuva, a equipe de campo da Geoambiente nunca para

geoambiente_inema10O projeto de mapeamento da cobertura vegetal da Bahia para o INEMA (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado) ainda segue a todo vapor com o consórcio Geobahia, liderado pela Geoambiente.
E mesmo com a chuva não dando trégua para o cerrado, na região oeste da Bahia, nossa bióloga, Luciana Arasato, seguiu rumo às regiões de Missão de Aricobé, Angical e Barreiras para supervisionar e fazer o levantamento e registro da vegetação existente nestes locais, com base no mapeamento. Estes dados serão usados para fazer a comparação do que foi observado no campo com o próprio mapeamento.

Confira algumas imagens:

 

Please follow and like us:

Projeto TRANSPETRO: GEOAMBIENTE levando otimização e eficiência ao cliente

A construção e manutenção de dutos nunca foi algo simples. Há a necessidade de muito planejamento e extrema cautela dos profissionais envolvidos, além dos melhores recursos tecnológicos à disposição.

geoambiente_equipe_transpetro
Dione Ribeiro, André Santos e Júlio Guerra – profissionais GEOAMBIENTE do projeto TRANSPETRO.

Com a necessidade de otimização e direcionamento dos esforços de inspeção de campo na detecção de áreas de riscos geológicos, em menor tempo do já despendido em inspeções sazonais, a TRANSPETRO contou com os serviços de Sensoriamento Remoto e mapeamento da GEOAMBIENTE. Ou seja, se antes os técnicos da TRANSPETRO percorriam faixas inteiras buscando por ocorrências geotécnicas, como erosões e escorregamentos, após a conclusão do projeto, não haveria mais a necessidade de tal percurso.
O projeto abrangeu áreas envolvendo as regionais São Paulo Planalto e Centro-Oeste (passando pelos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, incluindo o Distrito Federal). Ao todo, estamos falando de 18 faixas de dutos (somando 1.858km. de extensão total das faixas), onde foram feitos:

  • Modelagem espacial para mapeamento de suscetibilidade a erosão, escorregamento, queda de blocos, corrida de detritos e rastejo;
  • Produção de mapas de suscetibilidade a erosão, escorregamento, queda de blocos, corrida de detritos e rastejo em corredor de 400m. de largura ao redor das faixas de dutos;
  • Aquisição e processamento de imagens de satélite de alta resolução (até 1m.) para recobrir um corredor de 3km de largura no entorno de toda a extensão das faixas de dutos adquiridas;
  • Aquisição e processamento de imagens de média resolução para recobrir as áreas das bacias das travessias de até 3ª ordem a montante de faixas de dutos;
geoambiente_projeto_transpetro3
Imagem de alta resolução espacial adquirida e ortorretificada pela GEOAMBIENTE.
  • Mapeamento detalhado de uso e cobertura do solo e de feições de ocorrências geotécnicas (erosões, cicatrizes de escorregamento, entre outros) ao longo das faixas de dutos e seu entorno (400 m de largura) a partir das imagens de alta resolução;
  • Determinação das classes de locação dos trechos das faixas de dutos;
  • Mapeamento de uso e cobertura do solo das bacias das travessias de até terceira ordem;
  • Inspeção geológica-geotécnica em campo das áreas mapeadas como de suscetibilidades alta e moderada;
  • Desenvolvimento de aplicação WebGIS para publicação dos mapas de suscetibilidade, imagens de satélite e dados e documentos resultantes das inspeções em campo.
geoambiente_projeto_transpetro5
Mapa de uso do solo (erosão, escorregamento, queda de blocos e ação antrópica)

Num total de 11 meses, geólogos, analistas e engenheiros civis da GEOAMBIENTE inspecionaram 558,5km (30% do total) de trechos de suscetibilidade alta e moderada, além de consolidarem em escritório, informações recebidas da TRANSPETRO e geração de mapas de suscetibilidade para subsídio ao trabalho de campo.

geoambiente_projeto_transpetro4
Profissionais Geoambiente em campo

Com a conclusão do projeto, ferramentas de geoprocessamento e o uso de GIS (na modelagem da TRANSPETRO) possibilitaram a identificação de áreas que apresentavam eventos geotécnicos (erosões, escorregamentos, rastejos, entre outros), o mapeamento de suscetibilidade aos processos geológicos superficiais e a otimização dos esforços e recursos envolvidos na inspeção geológica-geotécnica em campo. Além disso, a TRANSPETRO também pode acompanhar o andamento dos trabalhos e avaliar os produtos gerados por meio do WebGIS que foi desenvolvido.

Segundo o Gerente de Projetos, André Santos, este projeto foi um pontapé inicial para outros projetos de infraestrutura linear na GEOAMBIENTE.

Please follow and like us:

Geoambiente em campo – Projeto ZEE do Ceará

São inúmeras as idas de nossos profissionais a campo durante o desenvolvimento dos mais diversos projetos que a Geoambiente fornece aos seus clientes.

geoambiente_zee_cearaUma delas foi a visita dos nossos especialistas em geoprocessamento, Alex Sousa e Angélica Santos, ao local do projeto de elaboração do  ZEE (Zoneamento Ecológico-Econômico) do Ceará.

A pedido da SEMACE (Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará), a Geoambiente está com a responsabilidade de elaborar os mapeamentos de Uso e Cobertura do Solo e de Unidades Geoambientais (dunas, planícies, praias, entre outros) na escala de 1:10.000. Já a consultoria do projeto fica por conta dos professores Dr. George Satander (UFC) e Dr. Norberto Horn (UFSC).

geoambiente_zee_ceara3O real objetivo deste projeto pela Geoambiente é o mapeamento de Unidades Geoambientais para que a SEMACE possa utilizar essas informações no licenciamento ambiental. Alex exemplifica: “quando alguém deseja construir um resort, hotel ou outro estabelecimento, precisa pedir autorização para a SEMACE, que então recorre ao mapeamento para ver em que contexto está inserida a área do empreendimento, não autorizando assim, ou restringindo, a construção em áreas ambientalmente mais frágeis, como dunas e borda de falésias”.

geoambiente_zee_ceara2Segundo nosso especialista, durante o mapeamento das Unidades Geoambientais surgem dúvidas, e essas visitas a campo são fundamentais para esclarecê-las. Tais visitas também são importantes para a validação dos mapas, sempre feitas em presença da SEMACE e dos consultores.

geoambiente_zee_ceara4

Please follow and like us:

Fantástica presença da Geoambiente na MundoGEO #Connect 2015

geoambiente_stand3A Geoambiente marcou grande e inesquecível presença na MundoGEO #Connect 2015. O stand da empresa ganhou destaque pela beleza e espaço muito bem aproveitado, contando inclusive com serviço de buffet e sala exclusiva para treinamento.

A programação de atrações do stand contou com showcases diferentes todas as manhãs e 2 horários de minicursos de Google Maps API ao longo das tardes. Além disso, também foi apresentado ao público a nova solução em cloud de gestão de pessoas e equipes em campo, Task4Work.
geoambiente_showcase1

A urna para o sorteio das 20 vagas de treinamento de Google Maps API, no próprio Google em São Paulo, estava lotada ao término do último dia de evento. E ainda tivemos a premiação da MundoGEO #Connect, em que a Geoambiente levou o prêmio de Empresa Mais Lembrada de Mapeamento. O Google, nosso parceiro, levou o prêmio de Melhor Aplicativo Móvel de Geolocalização, com o Google Maps.

geoambiente_equipe

A equipe Geoambiente presente no evento ficou muito feliz em receber todos convidados e visitantes durante os 3 dias de evento.
Para os próximos eventos, o público poderá contar com mais novidades ainda!

Aproveite para conferir algumas fotos.

Please follow and like us: