Arquivo da tag: Minas Gerais

Trabalho em contato direto com a natureza

Talvez uma das maiores recompensas dos projetos da Geoambiente de Sensoriamento Remoto combinados com trabalhos de campo é estar em contato direto com a natureza e se deslumbrar com as mais diversas paisagens ou elementos que só ela pode nos oferecer.
Um dos nossos Analistas de Geoprocessamento, Gabriel Baioco, com o uso de drones para um de nossos projetos de mapeamento das áreas florestais de Minas Gerais, fez a gentileza de registrar e nos passar algumas imagens que refletem um pouco sobre o que estamos falando.

Confira as imagens registradas:

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (10)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (9)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (8)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (7)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (6)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (5)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (4)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (3)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (2)

geoambiente_trabalhodecampo_drone_imagens (1)

Please follow and like us:

I Workshop de PSA Hídrico – CEIVAP da Bacia do Rio Paraíba do Sul

Em junho, divulgamos o novo projeto da Geoambiente para a AGEVAP (Agência da Bacia do Rio Paraíba do Sul) sobre PSA (Pagamento por Serviços Ambientais) com foco em Recursos Hídricos – PSA Hídrico.
O projeto envolve ações de conservação e restauração florestal em 13 municípios pertencentes à Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

worshop_agevap_5
No final de julho, foi realizado o I WORKSHOP das instituições executoras de PSA HÍDRICO – CEIVAP (Comitê de Integração da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul).

worshop_agevap_7

A equipe da Geoambiente neste projeto, representada por Maíra Dzedzej, Luciana Arasato e Dione Ribeiro, exibiu à AGEVAP, aos representantes de comitês de bacias e às instituições executoras a metodologia de gestão dos 9 projetos de PSA Hídrico e realizou a dinâmica de grupo para a troca de informações com os atores sociais.

worshop_agevap_6

worshop_agevap_8

Please follow and like us:

Gestão e Monitoramento Ambiental de Linhas de Transmissão

A Geoambiente possui vasta experiência na gestão e monitoramento ambiental de empreendimentos de energia elétrica em diferentes regiões brasileiras. Tem-se com destaque a gestão e monitoramento ambiental de Linhas de Transmissão.

projeto_CPFL2
Dione dos Santos, especialista GIS Geoambiente, em campo e utilizando o Field Collector.


A empresa utiliza técnicas de Sensoriamento Remoto e GIS como ferramentas de trabalho para os processos de gestão e monitoramento ambiental destes empreendimentos de energia elétrica em suas diferentes fases de licenciamento – licenças prévias, de instalação e operação. Desta forma, o conhecimento espacializado na forma de mapas traduz a “expertise” da equipe de uma forma clara e assertiva para os desafios propostos.

Luciano Barão, especialista GIS Geoambiente, em campo.
Luciano Barão, especialista GIS Geoambiente, em campo.


As vistorias ambientais de campo com o uso do aplicativo
Field Collector, desenvolvido pela Geoambiente, permitem um melhor controle e gestão dos dados coletados em campo. Somado a isto está a utilização de procedimentos de controle ambientais, os quais permitem que os empreendimentos sejam implantados e operem de acordo com as normas e legislação ambiental vigentes.

Tiago Pinheiro e Mateus Pontes, desenvolvedores do Field Collector.
Tiago Pinheiro e Mateus Pontes, desenvolvedores do Field Collector.

 

imagem_fieldcollector
Field Collector

Projeto 1: Cliente – CPFL

A Linha de Transmissão de 138 kV SE Franca – SE Pioneiros, com 54,219 km de extensão – está situada nos municípios de Franca, São José da Bela Vista, Guará e São Joaquim da Barra. A Linha de Transmissão irá interligar a SE Franca, localizada no município de Franca, à SE Pioneiros, localizada no município de São Joaquim da Barra.

Projeto 2: Cliente – CENTROESTE

A Linha de Transmissão de 345 kV FUPII II – circuito simples de 345kV, com 62,326 km de extensão – está situada na região centro-oeste do Estado de Minas Gerais. A Linha interliga a SE Furnas, no município de São João Batista do Glória, à SE Pimenta no município de Pimenta. O traçado da linha atravessa, além dos municípios citados, São José da Barra, Capitólio e Piumhi, todos inseridos na região centro-oeste de Minas Gerais.

equipe_SRC_CPFL_inspecao
Equipe de inspeção do projeto CPFL: André Santos, Luciano Barão e Rogério Silva (atrás)/ Dione Santos, Maíra Dzedzej e Mariângela Martins (frente).
Please follow and like us:

Projeto TRANSPETRO: GEOAMBIENTE levando otimização e eficiência ao cliente

A construção e manutenção de dutos nunca foi algo simples. Há a necessidade de muito planejamento e extrema cautela dos profissionais envolvidos, além dos melhores recursos tecnológicos à disposição.

geoambiente_equipe_transpetro
Dione Ribeiro, André Santos e Júlio Guerra – profissionais GEOAMBIENTE do projeto TRANSPETRO.

Com a necessidade de otimização e direcionamento dos esforços de inspeção de campo na detecção de áreas de riscos geológicos, em menor tempo do já despendido em inspeções sazonais, a TRANSPETRO contou com os serviços de Sensoriamento Remoto e mapeamento da GEOAMBIENTE. Ou seja, se antes os técnicos da TRANSPETRO percorriam faixas inteiras buscando por ocorrências geotécnicas, como erosões e escorregamentos, após a conclusão do projeto, não haveria mais a necessidade de tal percurso.
O projeto abrangeu áreas envolvendo as regionais São Paulo Planalto e Centro-Oeste (passando pelos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, incluindo o Distrito Federal). Ao todo, estamos falando de 18 faixas de dutos (somando 1.858km. de extensão total das faixas), onde foram feitos:

  • Modelagem espacial para mapeamento de suscetibilidade a erosão, escorregamento, queda de blocos, corrida de detritos e rastejo;
  • Produção de mapas de suscetibilidade a erosão, escorregamento, queda de blocos, corrida de detritos e rastejo em corredor de 400m. de largura ao redor das faixas de dutos;
  • Aquisição e processamento de imagens de satélite de alta resolução (até 1m.) para recobrir um corredor de 3km de largura no entorno de toda a extensão das faixas de dutos adquiridas;
  • Aquisição e processamento de imagens de média resolução para recobrir as áreas das bacias das travessias de até 3ª ordem a montante de faixas de dutos;
geoambiente_projeto_transpetro3
Imagem de alta resolução espacial adquirida e ortorretificada pela GEOAMBIENTE.
  • Mapeamento detalhado de uso e cobertura do solo e de feições de ocorrências geotécnicas (erosões, cicatrizes de escorregamento, entre outros) ao longo das faixas de dutos e seu entorno (400 m de largura) a partir das imagens de alta resolução;
  • Determinação das classes de locação dos trechos das faixas de dutos;
  • Mapeamento de uso e cobertura do solo das bacias das travessias de até terceira ordem;
  • Inspeção geológica-geotécnica em campo das áreas mapeadas como de suscetibilidades alta e moderada;
  • Desenvolvimento de aplicação WebGIS para publicação dos mapas de suscetibilidade, imagens de satélite e dados e documentos resultantes das inspeções em campo.
geoambiente_projeto_transpetro5
Mapa de uso do solo (erosão, escorregamento, queda de blocos e ação antrópica)

Num total de 11 meses, geólogos, analistas e engenheiros civis da GEOAMBIENTE inspecionaram 558,5km (30% do total) de trechos de suscetibilidade alta e moderada, além de consolidarem em escritório, informações recebidas da TRANSPETRO e geração de mapas de suscetibilidade para subsídio ao trabalho de campo.

geoambiente_projeto_transpetro4
Profissionais Geoambiente em campo

Com a conclusão do projeto, ferramentas de geoprocessamento e o uso de GIS (na modelagem da TRANSPETRO) possibilitaram a identificação de áreas que apresentavam eventos geotécnicos (erosões, escorregamentos, rastejos, entre outros), o mapeamento de suscetibilidade aos processos geológicos superficiais e a otimização dos esforços e recursos envolvidos na inspeção geológica-geotécnica em campo. Além disso, a TRANSPETRO também pode acompanhar o andamento dos trabalhos e avaliar os produtos gerados por meio do WebGIS que foi desenvolvido.

Segundo o Gerente de Projetos, André Santos, este projeto foi um pontapé inicial para outros projetos de infraestrutura linear na GEOAMBIENTE.

Please follow and like us: