Arquivo da tag: tecnologia

DataSafra em destaque no Canal Terra Viva

DataSafra segue em destaque na mídia!

0

Nesta manhã, Izabel Cecarelli, presidente da Geoambiente, apresentou a plataforma DataSafra à jornalista Renata Maron, do programa Bem da Terra, em entrevista no canal Terra Viva.
Izabel destacou como todos os recursos tecnológicos envolvidos no DataSafra trazem dados extremamente estratégicos na tomada de decisão de fabricantes de insumos (sementes, silos, agroquímicos, entre outros), concessionárias de máquinas agrícolas, além de bancos e seguradoras na questão de financiamento agrícola e operações de barter.

CLIQUE AQUI, assista ao vídeo e confira a entrevista.

Please follow and like us:

DataSafra em destaque no programa Mercado Futuro

entrevistaEm entrevista para o programa Mercado Futuro, do Canal do Boi, Izabel Cecarelli, presidente da Geoambiente, apresenta o DataSafra, plataforma de monitoramento agrícola para inteligência de mercado e para mitigação de riscos financeiros em operações de financiamento agrícola. Na entrevista, Izabel também especifica os detalhes sobre o desenvolvimento e oferta da plataforma, além das diversas oportunidades para o público-alvo com o DataSafra.

Assista à entrevista:

Please follow and like us:

Oportunidade na Geoambiente: Desenvolvedor FullStack Java Pleno

A Geoambiente está com uma nova oportunidade.
Confira os detalhes abaixo:

vaga_geoambiente_desenvjavapleno

DESENVOLVEDOR FULLSTACK JAVA PLENO

Qualificações Técnicas Necessárias

  • Formação Superior Completa em Engenharia ou Ciências da Computação e correlatos, há pelo menos 3 anos;
  • Experiência de 5 anos em desenvolvimento web Java;
  • Capacidade de realizar testes de unidade, funcionais e de integração;
  • Experiência comprovada em produzir códigos bem estruturados, testados e escaláveis;
  • Sólidos conhecimentos em algoritmos;
  • Bons conhecimentos em Web frameworks (Spring Boot, SpringSecurity, Hibernate 3, JUnit, Mockito, Angular, BootStrap);
  • Vivência forte em Banco de dados SQL e NoSQL;
  • Conhecimentos em Integração Contínua e Entrega Contínua;
  • Vivência em Provedores de Cloud infrastructure (AWS, GCE e Heroku).

Outras Qualificações Desejáveis

  • Conteinerização (Docker, Kubernetes);
  • Ferramentas de provisionamento (Puppet ou Chef);
  • Outros frameworks (ActiveMQ, Apache Camel);
  • Linguagens (TypeScript, C++, Scala);
  • Tecnologias (Google Maps API, NodeJS, Android, iOS);
  • Comprometimento com metas, ter pró-atividade e iniciativa, ser organizado e ter pensamento lógico;
  • Inglês Intermediário;
  • Boa comunicação escrita e falada.

Local de trabalho: São José dos Campos.

Interessados: enviar currículo para e-mail trabalhenageo@geoambiente.com.br, indicando no assunto o titulo da vaga.

Please follow and like us:

Google Maps API: benefícios para varejistas e consumidores

canais_vendasNão importa se estamos falando de uma grande rede varejista ou uma pequena loja. Deixou de ser estratégico e tornou-se fundamental a oferta de uma boa experiência de compra atrelada a uma ótima cobertura de canais de venda. E quando falamos da presença do varejista no maior número de canais de venda, estamos falando em integração de recursos tecnológicos, onde entram as APIs.

Cada vez mais é necessário que os varejistas tenham uma visão mais próxima das vantagens das APIs e, que entendam que elas permitem que as aplicações conversem umas com as outras, inclusive na troca de dados. Eles também precisam entender que o uso das APIs permite a criação de serviços mais integrados e a oferta de melhores experiências de compra aos consumidores.

A API do Google Maps é um ótimo exemplo de recurso que pode oferecer experiências diversas aos consumidores em suas compras e aos próprios varejistas em suas operações estratégicas, como exibir onde todos seus produtos e serviços podem ser encontrados, localizar os fornecedores mais próximos para os varejistas, entre outras possibilidades.

Para entender como a API do Google Maps pode trazer mais benefícios às suas operações no dia-a-dia e/ou levar grandes experiências de compra aos seus clientes, entre em contato conosco: querosabermais@geoambiente.com.br ou ligue para (12) 3878-6400.

Acesse: http://www.geoambiente.com.br/maisqueummapa.

Please follow and like us:

OPORTUNIDADE na Geoambiente – GERENTE DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

vaga_geoambiente_gerente_ds

Profissional com formação em Ciências da Computação ou correlata e certificação PMP-PMI, com experiência em gerenciamento de projetos de Desenvolvimento de Software. Experiência na gestão de equipes de TI. Experiência em tecnologias C# e Java com arquitetura Web, MVC, SOA e utilização de metodologias ágeis de desenvolvimento (Scrum).

O profissional será responsável pela operação de nova linha de negócio da empresa, envolvendo a estruturação da equipe e do processo de desenvolvimento de software para novos produtos.

Competências técnicas requeridas:
– Certificação PMP-PMI;
– Utilização de metodologias ágeis de desenvolvimento (Scrum), melhores práticas PMBOK ;
– Coordenação de projetos nas tecnologias C# e Java com arquitetura Web, MVC, SOA;
– 08 anos de graduação em Ciências da Computação ou área correlata;
– Experiência de 03 anos no cargo de Gerente de Desenvolvimento de Sistemas;
– Inglês fluente.

Competências Desejadas:
– Vivência em ambientes com aplicação de práticas do CMMI ou MPRBr;
– Experiência em Projetos envolvendo GIS (Geographic Information System) – desejável.

Local de trabalho: São José dos Campos

Os interessados deverão enviar seus currículos para trabalhenageo@geoambiente.com.br, informando o nome da vaga no campo “assunto”.

Please follow and like us:

Geoambiente apoia 1º GAF Talk – Agricultura do Futuro: novos caminhos da tecnologia

gaftalks

“Agricultura do Futuro: novos caminhos da tecnologia” é o tema da 1ª edição do GAF Talks, evento internacional organizado pelo Global Agribusiness Forum – DATAGRO a ser realizado no dia 29 de março, no Sheraton WTC, em São Paulo.
Com o apoio da Geoambiente, líder no mercado de Sensoriamento Remoto e Geotecnologias, o evento, contará com a participação de importantes líderes mundiais do Agronegócio em debates sobre o mercado AgTech (tecnologia para o Agronegócio), Big Data no campo e o uso da inovação na gestão e no apoio às decisões de risco e investimento.

O evento poderá ser acompanhado, em tempo real, através do Facebook, a partir das 13h20.
Acesse: http://www.facebook.com/GlobalAgribusinessForum.pt

Confira a programação em: http://www.globalagribusinessforum.com/pt-br/gaf-talks

#GAFTalks #GAF #Geoambiente #GeoambienteAgTech #AgTech

Please follow and like us:

Geoambiente no Google Next ’17

IMG_20170308_131257Entre os dias 6 e 10 de março, o GOOGLE realizou o evento GOOGLE NEXT ’17, em São Francisco (EUA). Nestes dias repletos de atividades, bootcamps, palestras e demonstrações de novas ideias e soluções com os produtos que fazem parte da GOOGLE CLOUD, a equipe da Geoambiente (representada por Felipe Del Nero e Danilo Ramalho), parceira Premier GOOGLE MAPS e convidada para o evento, esteve presente para conferir as novidades que enriquecerão os recursos para a equipe de desenvolvimento de soluções, assim como a oferta de melhores negócios aos clientes pela equipe comercial da Geoambiente.

Durante as apresentações realizadas exclusivamente aos parceiros dos produtos da Google Cloud, as personalidades Diane Greene (VP sênior – Google Cloud), Sundar Pichai (CEO do Google) e Eric Schmidt (Presidente – Alphabet Inc.)
mostraram ao público presente a importância da tecnologia envolvida dentro e fora do mundo Google, e a infinidade de possibilidades ao usar os produtos da família Google Cloud.

Houve muita discussão sobre tecnologia e tendências de futuro, e a mensagem que ficou clara foi sobre a grande importância da geolocalização para o desenvolvimento de soluções para o mercado e criação de novos modelos de negócios.

Please follow and like us:

Inscreva-se para o Curso: Google Maps API da GEOAMBIENTE na #MundoGeoConnect2017

“COMO EXPLORAR AO MÁXIMO TODOS OS RECURSOS DA API DO GOOGLE MAPS EM SUAS APLICAÇÕES?”, este será o tema para o curso que Felipe Del Nero e Luís Filipe Mota (GEOAMBIENTE) apresentarão no dia 11 de maio, das 11h às 18h, durante a MundoGeo #Connect 2017.

C5Ns7gjWcAADS4n

A essência dos problemas encontrados pelas empresas e pelo Governo se encontra nas questões analíticas dos dados e informações disponíveis, que são facilmente, e muitas vezes, solucionados através de visões diferentes e objetivas que a alta tecnologia do Google Maps oferece.

Através deste curso dinâmico, você descobrirá todas grandes possibilidades de uso da API do Google Maps, aprendendo como as empresas estão elevando suas receitas e os índices de satisfação de seus clientes, e como o governo está solucionando questões críticas em planejamento e gestão. Serão apresentados vários cases de projetos com quais os participantes poderão se identificar, implementações (para desenvolvedores) e todas as informações necessárias e a facilidade para que todos possam adquirir os poderosos recursos do Google Maps em seus negócios e em seus projetos.

Tópicos que serão abordados no Curso:

• APIs do Google Maps – Descubra possibilidades de aplicação com a API do Google Maps, através de cases reais.

• Licenciamento Google Maps – Saiba em quais situações há a necessidade de contar com a licença de uso da API do Google Maps, como adquiri-la e como é possível implementar a API em seu projeto.

• Cases de Projetos com Google Maps – Raio-X de cases com projetos desafiadores, utilizando as APIs do Google Maps, alcançando grandes resultados.

• Implementando Google Maps para Desenvolvedores – A aplicação e implementação efetiva para as mais diversas soluções. Fique por dentro dos conhecimentos técnicos para implementar a API do Google Maps, unindo exemplos práticos, dicas de uso (como o API Checker) e erros comuns que devem ser evitados pelos desenvolvedores.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO EM: http://mundogeoconnect.com/2017/programacao
MUNDOGEO #CONNECT 2017
Data: 11/05/2017
Horário: 11h às 18h
Local: Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – 5º andar – Consolação – São Paulo (SP))

Instrutores:

Felipe Del Nero
dneroFelipe Del Nero atua no mercado de Geotecnologia desde 2003, é Diretor Comercial na Geoambiente Sensoriamento Remoto. Formado em Engenheiro de Produção pela FEI e com MBA em Gestão Empresarial pela FGV, atua na direção de todas as frentes comerciais dos serviços oferecidos pela Geoambiente.

Luís Filipe Guedes Mota
filipeBacharel em Sistema de Informação pela Unitau. Atua a mais de 12 anos na área de desenvolvimento de sistemas, sendo 6 anos com Google Maps e 8 anos na área de Sistema para geoprocessamento.

Please follow and like us:

Geoambiente em projeto de GIS Corporativo para a mineradora Anglo American

Num total de 15 meses de projeto, com o objetivo de avaliar e desenvolver a implementação de ambiente GIS Corporativo para todas as áreas da unidade de negócio Minério de Ferro Brasil da Anglo American, a equipe de GIS TI da Geoambiente encerra 2015, com chave de ouro, finalizando o projeto para a mineradora.

Nas instalações da Anglo American, em Belo Horizonte, Conceição do Mato, Santo Antônio do Gramo (todas em MG) e São João da Barra (RJ), a Geoambiente tinha como objetivo mapear todas as demandas de GIS existentes, caracterização do cenário atual da Anglo American e propor um modelo GIS Corporativo que atenda a todas demandas identificadas, incluindo as futuras.

geoambiente_angloamerican
Da esq. para dir. – Alexandre Hashimoto, Joyce Tosetto, Luciano Barão, Maíra Dzedzej e Danilo Palomo.

O projeto envolveu 71 reuniões com 133 profissionais da Anglo American de 30 áreas no total, entre eles: Engenharia, transporte, desenvolvimento social, Geociências e licenciamento/desenvolvimento sustentável. E todo o processo contou com 5 etapas, incluindo a gestão e o acompanhamento pela Geoambiente:

  1. Planejamento;
  2. Assessment;
  3. Infraestrutura do Sistema;
  4. Arquitetura do Sistema;
  5. Políticas, Normas e Procedimentos;
  6. Gestão e acompanhamento.

O planejamento inicial contou com plano de trabalho sobre todo o processo a ser seguido (características do projeto, metodologia de trabalho e cronograma). Além do plano de trabalho, também houve o plano de comunicação e as entrevistas de diagnóstico com os profissionais de diversas áreas da Anglo American.

Ainda na etapa inicial, foi produzido o relatório de diagnóstico com mapeamento dos processos que têm a necessidade de informações georreferenciadas na empresa.

Para Maíra Dzedzej, Engenheira Florestal, Especialista em Recursos Hídricos e Meio Ambiente da Geoambiente, o projeto foi intenso e muito gratificante: “Dentre as diversas etapas do projeto esta foi a que estive mais envolvida. A etapa de levantamento de informações nos fez mergulhar intensamente nas atividades da empresa para o entendimento das reais necessidades dos usuários com relação ao GIS Corporativo.
Fisicamente foi um caminho árduo, perfazendo o caminho do minério, paralelamente ao duto e, cobrindo todos os potenciais usuários que necessitam de dados geográficos. Foi intenso. Mas, muito gratificante. Entrevistamos diferentes usuários e conversamos sobre diferentes temas em todas as áreas da empresa. Foram identificados usuários júniors, avançados e os que nem se julgavam usuários. Boas expectativas e ganhos foram apontados com a futura implantação do GIS. Os diferentes usuários, necessitam da ferramenta.
A primeira fase completa (entrevistas e relatório) levou cinco meses para ser concluída e foi realizada com muita interação da equipe multidisciplinar da Geoambiente e colaboradores da Anglo American, do Comitê GIS. Sem eles o trabalho não seria possível pois abriam portas e a discussão sobre o tema, nas diferentes áreas. A convivência e a interação no território mineiro foram especiais”.

A segunda etapa contou com a Arquitetura Conceitual, o processo a ser seguido após o diagnóstico das áreas da Anglo American, visando auxiliar na definição do funcionamento do GIS Corporativo.

E em seguida, a terceira etapa, com a infraestrutura do sistema, em que houve o planejamento e a definição das características da Infraestrutura de Dados Espaciais (IDE) do GIS Corporativo, propondo informações referentes à estrutura de hardware e software que comporão o ambiente GIS.

São previstos cenários de crescimento, com especificação detalhada de hardware, licenças de software e aplicativos a serem adquiridos, desenho da estrutura organizacional e de instalações no mesmo ambiente, tanto para curto e médio, assim como para longo prazo.

Segundo Alexandre Hashimoto (Analista de Sistemas e Analista de Banco de Dados Geoambiente), a etapa não foi algo simples: “O relatório de infraestrutura do sistema foi de alta complexidade, pois estabeleceu um ambiente completo de uma IDE – Infraestrutura de Dados Espaciais do GIS Corporativo. Não foi somente definir software e hardware, mas também foi preciso justificá-los. E como se trata de uma empresa que possui uma grande equipe de TI, as justificativas técnicas precisaram ser de alto nível. Outro ponto de complexidade foi a definição da infraestrutura para os horizontes de curto, médio e longo prazo, ou seja, foi preciso definir estruturas escaláveis para que a implantação do projeto fosse realizada em fases”.

A quarta etapa, Arquitetura do Sistema, propõe a estruturação de softwares que suportarão as necessidades levantadas, atendendo aos cenários de curto a longo prazos do GIS Corporativo.

E por último, a etapa de políticas, normas e procedimentos em que houve a elaboração de um conjunto de documentos para suportar a administração e a manutenção do ambiente GIS Corporativo.

Para Danilo Palomo, Analista de Sistemas GIS Geoambiente, o projeto em sua etapa final foi de grande importância para a Anglo American e para a Geoambiente: “Nesta etapa utilizamos o entendimento da estrutura organizacional adquirido nas fases anteriores com o conhecimento da equipe em GIS para a definição dos padrões que deverão ser adotados e construção dos instrumentos normativos que deverão ser aplicados para a utilização, manutenção, difusão e evolução da utilização do GIS dentro da Unidade de Minério de Ferro da Anglo American (MFB).
As Políticas e Normas foram elaboradas de forma a se tornarem as regras básicas que orientam a tomada de decisão na organização na utilização do GIS, refletindo o pensamento da organização com relação ao GIS, servindo de orientação para a definição das estratégias, táticas e planos operacionais. Os procedimentos definem padrões, parâmetros e responsabilidades para a execução dos processos envolvendo GIS. Esses procedimentos são importantes para a implantação do GIS Corporativo e seu crescimento de forma madura e ordenada dentro da organização.
Foram realizadas várias discussões com os colaboradores da Anglo American para o enriquecimento dos documentos, para que esses reflitam as necessidades e objetivos a serem alcançados pela MFB com a utilização do GIS”.

Todo o projeto da Geoambiente com a Anglo American teve a gestão e o acompanhamento feito por Joyce Tosetto, gerente de projetos Geoambiente, contando ainda com monitoramento, controle e emissão de relatórios semanais de acompanhamento.

“O projeto Anglo foi desafiador pela quantidade de dados geográficos envolvidos em nossos processos de negócio da empresa, onde entrevistamos mais de cem pessoas, em quatro plantas diferentes. Hoje, esses dados estão mapeados com a modelagem do banco dados já disponível, além do plano de implantação de GIS Corporativo de curto, médio e longo prazo, fornecendo todas as orientações técnicas necessárias para transformar o GIS em uma solução capaz de alcançar reais reduções de custos e agilidade para tomada de decisões”, afirma Joyce.

Please follow and like us:

Geoambiente e o Projeto de Sistema Gerencial de Informações (SGI) para a Gestão de Recursos Hídricos da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP)

Aumentar a oferta de água para a população. Missão difícil que exige esforço de todos.

E você sabia que uma parcela desta oferta pode ser garantida com a melhora na qualidade da água nos rios e mananciais? E é aí que a Geoambiente entra em cena com um grande projeto.

A Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos de São Paulo (SSRH-SP) solicitou à Geoambiente um sistema que a auxiliasse no controle das informações geradas pelos diversos órgãos diretamente ligados a este assunto, para que então várias decisões pudessem ser tomadas e colocadas em prática pela SSRH. Foi como nasceu o projeto da Geoambiente de desenvolvimento do Sistema de Gestão Integrada das Áreas de Proteção e Recuperação Ambiental da Região Metropolitana (APRM) de São Paulo, o SGI.

geoambiente_SSRH_3
Alguns membros da equipe: Tiago Pinheiro, Júlio Guerra, Carolina Landim e Maíra Dzedzej

Objetivos do sistema:

  • Promoção do compartilhamento dos mais diversos tipos de informações que vêm dos vários órgãos envolvidos;
  • Análise integrada dos dados sob diferentes óticas;
  • Apoio à definição de políticas públicas;
  • Suporte ao monitoramento e à fiscalização das ações implementadas.

E neste sistema, a variedade de informações contidas vão desde características ambientais das sub-bacias, áreas protegidas, dados hidrológicos, uso e ocupação do solo e tendências de transformação, até dados de monitoramento de qualidade da água.

geoambiente_SSRH
Processo geral da execução do projeto para a SSRH-SP

Veja algumas das funcionalidades específicas do SGI:

  • Disponibilizar à sociedade e aos órgãos competentes da gestão pública dados e documentos atualizados e organizados referentes à gestão de recursos hídricos nas APRMs;
  • Dar apoio informativo aos agentes públicos e privados que atuam nas bacias;
  • Subsidiar a elaboração e os ajustes nos programas e Planos de Desenvolvimento e Proteção Ambiental (PDPAs) das APRMs;
  • Fornecer informações para monitorar e avaliar a qualidade ambiental das APRMs e os programas e ações definidos nos PDPAs.

A análise e apresentação gráfica, espacializada e temática de temas como abastecimento e qualidade da água, cargas poluidoras, riscos ambientais, dinâmica econômica, fiscalização, habitação, áreas degradadas e doenças de veiculação hídrica são alguns dos resultados das funcionalidades específica do SGI.

O desenho do sistema pela Geoambiente não foi algo simples. Houve inicialmente o rastreamento das fontes de informações necessárias ao SGI que culminou na identificação de sistemas já existentes prontos para serem integrados no projeto, além dos ainda em desenvolvimento. Foram identificados 24 sistemas em diferentes fases de desenvolvimento que serão ou não integrados ao sistema. Portanto, houve a necessidade de uniformização e adaptação de muitas variáveis para o desenvolvimento do sistema.

Além disso, a equipe Geoambiente fez diversas reuniões com cada um dos órgãos envolvidos para identificar e transcrever as reais necessidades dos usuários complementar a atividade de interpretação das leis gerais, leis específicas e resoluções que tratam do SGI e de suas principais aplicações. Esta etapa foi conduzida pela equipe multidisciplinar de profissionais da Geoambiente em parceria com a contratante e demais stakeholders, com o objetivo principal de rastreabilidade e entendimento dos dados e, necessidades dos usuários para o desenho das funcionalidades do sistema. Estas reuniões aconteceram no período de agosto a outubro de 2014.

Please follow and like us: