Prefeituras têm a chance de conferir o AGILITY na Connected Smart Cities 2019

Entre os dias 17 e 18 de setembro, a equipe Geoambiente leva o AGILITY para a Connected Smart Cities, em São Paulo.

O sistema é um produto inovador que contempla atendimento, planejamento e gestão dos chamados gerados pela população para as prefeituras. Ele também é completo pois gerencia os chamados desde a captação até a solução dos mesmos.

Usando Inteligência Artificial e Machine Learning, os principais diferenciais do Agility ficam por conta da triagem e do planejamento, ambos automáticos, ou seja, não necessitam de equipes dedicadas para estas operações.

Participe do evento, visite o stand do Agility e assista à demonstração do sistema.

Para conferir mais informações do Agility, visite: www.geoambiente.com.br/agility

O Agronegócio que ganha força com Geotecnologias

Em entrevista para Sara Kirchhof, do Canal do Boi, Izabel Cecarelli explica como o uso de Geotecnologias é fundamental para agregar valor e segurança no Agronegócio, principalmente nas operações financeiras e de Barter.
Assista ao vídeo e acompanhe a entrevista. E para ter mais detalhes do DataSafra, plataforma de monitoramento agrícola por satélite, que mostra a evolução da safra em tempo quase real, acesse: www.datasafra.com.br

Sistema AGILITY na Smart City Business America 2019

48435558812_f27106bdfb_kEntre os dias 22 e 24 de julho, a equipe Geoambiente esteve presente na Smart City Business America, não só como patrocinadora, mas também para apresentar aos visitantes todas as vantagens do sistema AGILITY.
Os visitantes puderam assistir às palestras e reuniões organizadas pelo evento, além de visitar o espaço do AGILITY e assistir à demonstração da plataforma e conhecer todas suas vantagens.
Desenvolvido pela Geoambiente, o sistema AGILITY é a plataforma inovadora para as prefeituras e secretarias. Diferente de todos outros sistemas e aplicações que estão no mercado, o AGILITY realiza o atendimento, o planejamento e a gestão dos chamados da população de forma completa, ou seja, une prefeitura e cidadão desde a realização do chamado até a comunicação de que o mesmo já foi planejado e solucionado. E com o uso de Inteligência Artificial e Machine Learning, o sistema AGILITY traz seus principais diferenciais que são a triagem e o planejamento, ambos automáticos, ou seja, não há a necessidade de uma equipe para esses processos. Desta forma, o sistema AGILITY traz a otimização de tempo e recursos da prefeitura, ganhando agilidade no atendimento da população.

Safra de milho de inverno em MT é de 5,1 milhões de hectares

Até o primeiro decêndio de junho, 28% da área plantada já havia sido colhida.

safra-de-milho

O total de área plantada no Mato Grosso da atual safra de inverno de milho é de exatos 5,188 milhões de hectares. O número foi apurado pelo DataSafra, uma plataforma de monitoramento em tempo quase real da safra, que é baseado na análise de imagens captadas por diversos satélites. Trata-se do dado mais próximo da realidade plantada naquele estado, por não depender da declaração de produtores ou outros métodos estatísticos de amostragem.

Em relação à safra de inverno de milho em 2018, isso representa um aumento de 8,1% na área plantada em Mato Grosso, quando foram cultivados 4,798 milhões de hectares. Por meio do DataSafra, ainda é possível mapear a área colhida da safra atual. Até o primeiro decêndio de junho, 28% da área cultivada já havia sido colhida, ou seja, de 1,447 milhão de hectares.

A exatidão desse tipo de monitoramento auxilia na tomada de decisão por parte de fabricantes e distribuidores de insumos agrícolas, concessionárias de máquinas e implementos agrícolas, além de bancos e tradings, pois se tem de forma mais rápida e objetiva, a informação de qual a tendência da evolução da safra numa determinada região.

Exatamente por essa peculiaridade, a plataforma inovadora possibilita transformar dados em indicadores, incluindo informações detalhadas por municípios e até por talhões. Com ela, as empresas da cadeia do agronegócio podem realizar um melhor planejamento para suas equipes de vendas. A plataforma permite, ainda, a integração com o sistema de CRM das organizações, o que significa analisar, em caso de uma concessionaria de máquinas agrícolas, por exemplo, o tamanho da área plantada ou colhida com sua máquina ou de seu concorrente.

No caso dos bancos e tradings, vale acrescentar que o DataSafra fornece gráficos e tabelas com históricos de produtividade das safras anteriores e o monitoramento da safra atual, do desempenho da lavoura e previsão sobre a colheita. Com esses dados, as operações de barter ganham mais segurança, além de oferecer menor risco com consequente redução das despesas com fiscalização.

Fruto de um esforço de inteligência de diversos profissionais e de dois anos e meio de desenvolvimento, o DataSafra foi concebido pela Geoambiente, empresa com 25 anos de experiência na área de geolocalização e sensoriamento remoto. Atualmente focado nas culturas de milho e soja, a plataforma está disponível para o Mato Grosso, mas, em breve, se estenderá a outras culturas e outros estados.

Matéria publicada no portal AgroNews (31/07/2019)
Por: Assessoria

DataSafra no programa Dia Dia Rural

No programa Dia Dia Rural (Canal Terraviva) desta segunda-feira (29 de julho), o apresentador Otávio Ceschi Junior recebeu, no quadro “Campo Digital”, Izabel Cecarelli, presidente da Geoambiente, para falar sobre o DATASAFRA e explicar como a plataforma de monitoramento agrícola que traz dados altamente estratégicos para inteligência de mercado e mitigação de riscos financeiros em operações de financiamento agrícola.

Assista à entrevista:

Concessionárias de máquinas agrícolas do MT ganham aliado tecnológico para planejar sua estratégia comercial

DataSafra, plataforma de monitoramento por satélite, permite avaliar a área plantada em cada fazenda e associar a informação ao CRM da concessionária

datasafra_

A infinidade de sensores e demais dispositivos tecnológicos integrados nas máquinas e implementos agrícolas possibilita que seu fabricante consiga, em tempo real, localizar toda sua frota em operação. Essa tecnologia embarcada é de grande valia em termos de competitividade e de posicionamento de mercado em um cenário acirrado como é o do agronegócio brasileiro.

Porém, saber a quantidade e a localização de seus equipamentos não é o suficiente para formular uma estratégia comercial assertiva. A informação mais valiosa, certamente, é detectar, antecipadamente, para onde e em que ritmo avança a safra de um determinado ano. Só assim, é possível estar à frente concorrência.

No estado do Mato Grosso, essa informação já pode ser obtida facilmente, com o uso do DataSafra, uma ferramenta inovadora, que permite, com base na coleta e análise de imagens de satélites, saber, em tempo quase real, para onde se encaminha a expansão ou retração das áreas plantadas das culturas da soja e do milho por região, município e em cada fazenda.

Com os indicadores mapeados pelo DataSafra, a concessionária de equipamentos e implementos agrícolas pode consultar em mapas, tabelas e gráficos detalhados a informação sobre a área plantada do milho safrinha no Estado, durante toda a safra, bem como dados sobre onde ela cresceu ou recuou em relação à safra anterior ou à duas safras anteriores.

A área plantada pode ser vista também por fazenda e associada ao CRM da concessionária. Essa análise permite evidenciar se as vendas já realizadas para cada produtor, cliente da concessionária, estão suprindo as necessidades de sua produção ou se existe oportunidade para ampliação de vendas, oferta de novos implementos para atender diversificação de culturas plantadas, entre outros.

As informações fornecidas pela plataforma digital são originárias de diversos satélites, com a aplicação de complexos algoritmos e conceitos como Big Data e Inteligência Artificial. Isso significa que todos os dados possuem alta confiabilidade e precisão, ou seja, mostram realmente o que estava plantado – e até qual o estágio do crescimento atual em que se encontra a planta – no momento da análise por parte do distribuidor ou fabricante da máquina.

O acesso a todos esses indicadores vai permitir que a área comercial da concessionária de máquinas e implementos no Mato Grosso possa elaborar uma estratégia comercial eficiente, que resulte em um número maior de vendas aos produtores rurais da região.

Fruto de um esforço de inteligência de diversos profissionais e de dois anos e meio de desenvolvimento, o DataSafra foi concebido pela Geoambiente, empresa com 25 anos de experiência na área de geolocalização e sensoriamento remoto. Atualmente focado nas culturas de milho e soja, a plataforma está disponível para o Mato Grosso, mas, em breve, se estenderá a outras culturas e outros estados.

Fonte: assessoria de imprensa

Plataforma de monitoramento DataSafra auxilia a estratégia comercial da indústria de insumos agrícolas

datasafra__

As dimensões continentais do Brasil exigem precisão nas estratégias comerciais e de distribuição dos fornecedores de insumos para a agricultura, pois as distâncias entre o local de fabricação e o ponto de entrega são enormes e os custos logísticos, devido à infraestrutura deficiente, são altos. Para conseguir um sistema de distribuição mais racional, os fabricantes e distribuidores de fertilizantes, defensivos e sementes precisam de um planejamento assertivo que contemple informações e tendências sobre plantio de safra e de colheita e, assim, ser mais eficiente no atendimento aos seus clientes.

Para auxiliar nesse planejamento, uma ferramenta tecnológica, o DataSafra, foi desenvolvida para levar dados precisos sobre áreas plantadas das culturas de soja e milho de segunda safra, por região, municípios e até por talhão plantado. Por meio da coleta e análise de imagens de satélites, a plataforma digital fornece, em tempo quase real, mapas, tabelas e gráficos detalhados sobre a expansão ou retração dessas culturas.

Atualmente ainda restrita ao mapeamento do Mato Grosso, a inovação permite transformar dados em indicadores úteis, que servirão também para orientar, com mais confiabilidade, as estratégias comerciais dos fabricantes de insumos agrícolas, incluindo os esforços de vendas, mobilização de equipes e realocação de recursos.

Com os indicadores mapeados pelo DataSafra, um fabricante de fertilizantes consegue ter na tela do computador, por exemplo, a informação de que a área plantada de milho safrinha no Mato Grosso era, em maio deste ano, de 4,8 milhões de hectares. A vantagem é que esse dado não foi informado ou estimado pelos produtores, mas sim fruto da análise de uma imagem real do que estava efetivamente plantado naquele momento, permitindo até saber qual o estágio de evolução da plantação.

É possível ainda antecipar tendências de para onde está avançando a plantação da cultura numa determinada região, uma vez que o DataSafra disponibiliza a situação de até duas safras passadas, permitindo análises comparativas. A ferramenta consegue descer a esse nível de detalhe graças ao cruzamento de dados levantados a partir de complexos algoritmos e até a utilização de conceitos como Big Data e Inteligência Artificial.

Fruto de um esforço de inteligência de diversos profissionais e de dois anos e meio de desenvolvimento, o DataSafra foi concebido pela Geoambiente, empresa com 25 anos de experiência na área de geolocalização e sensoriamento remoto. Atualmente focado nas culturas de milho e soja, a plataforma está disponível para o Mato Grosso, mas, em breve, se estenderá a outras culturas e outros estados.

Fonte: assessoria de imprensa

ACESSE: WWW.DATASAFRA.COM.BR

Governo do Estado lança Mapeamento da Cobertura Vegetal da Bahia

Governo da Bahia lança o Mapeamento da Cobertura Vegetal do Estado, executado por Consórcio de empresas de Geotecnologias, sob a liderança da GEOAMBIENTE.

Acompanhe o release abaixo publicado na MundoGeo.

Estado da Bahia possui três biomas terrestres, com seus diversos tipos de vegetação nativa: o Cerrado, a Caatinga e a Mata Atlântica

Durante o evento de assinaturas de decretos e lançamentos de projetos que aconteceu no último dia 5 de junho, visando o fortalecimento da gestão ambiental no estado, o governador Rui Costa lançou a portaria conjunta entre a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), instituindo o Mapeamento da Cobertura Vegetal da Bahia.

A atividade permeia um sistema automatizado de gestão florestal, que acompanhará as atividades de desmatamento e de reflorestamento nos três biomas baianos, sendo instrumento de gestão florestal nos termos da Lei no 10.431, de 2006, e do Decreto Estadual no 15.180, de 2014.

O estado da Bahia, nos seus quase 600 mil quilômetros quadrados de extensão territorial, possui três biomas terrestres, com seus diversos tipos de vegetação nativa: o Cerrado, a Caatinga e a Mata Atlântica.

coberturavegetalbahia

Segundo a diretora-geral do Inema, Márcia Telles, auxilia o importante e fundamental monitoramento da vegetação nativa. “É necessário acompanhar o processo de uso e ocupação do solo, que resulta em variados tipos de alterações no território e, consequentemente, nos ambientes naturais. Entretanto, os mapeamentos da cobertura vegetal anteriores de nosso estado ou estão em escalas incompatíveis com as atuais necessidades de aplicação da política ambiental ou encontram-se defasados”, afirmou a diretora.

Algumas ações que serão diretamente aprimoradas com o novo mapeamento, por meio da qualificação e consequente celeridade das análises, são as atividades de licenciamento, fiscalização, monitoramento, gestão de unidades de conservação, da biodiversidade e dos recursos hídricos, além servir de insumo para projeção de cenários de expansão de setores econômicos.

Para a realização dos trabalhos foram contratados dois consórcios de empresas especialistas na área: o Consórcio Geobahia – liderado pela GEOAMBIENTE, que executou o mapeamento da vegetação nativa em todo o estado; e o Consórcio Geo Senografia-Viasat, que apoiou a validação dos produtos do mapeamento.

Os produtos estarão disponíveis para a consulta pública por meio do sistema SIGweb Geobahia.

DataSafra em destaque no programa Mercado Futuro

entrevistaEm entrevista para o programa Mercado Futuro, do Canal do Boi, Izabel Cecarelli, presidente da Geoambiente, apresenta o DataSafra, plataforma de monitoramento agrícola para inteligência de mercado e para mitigação de riscos financeiros em operações de financiamento agrícola. Na entrevista, Izabel também especifica os detalhes sobre o desenvolvimento e oferta da plataforma, além das diversas oportunidades para o público-alvo com o DataSafra.

Assista à entrevista: