36% do óleo lubrificante no Brasil é recolhido pela logística reversa.

0 2

Além de tóxico para o ser humano, ele tem grande impacto no meio ambiente.

por Atitude Sustentável

Os dados preocupam: um litro de óleo lubrificante pode contaminar um milhão de litros de água; se ele for queimado como combustível, o ar ficará poluído com gases venenosos e cancerígenos; e se for derramado no solo, pode poluir irreversivelmente aquíferos e lençóis freáticos. Ou seja, na água, no ar e na terra, os óleos lubrificantes usados ou contaminados (Oluc), também conhecidos como óleos queimados, são um resíduo tóxico tanto para o meio ambiente quanto para o ser humano.

Atualmente, o Brasil recolhe 36% do óleo usado, tendo em vista a meta de 42% para a próxima década. O descarte incorreto do óleo lubrificante de veículos é um grande problema, pois vários estabelecimentos não dão o destino correto para ele. Há cinco anos, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) publicou uma resolução que regulamenta a coleta e recolhimento dos óleos lubrificantes. O processo ideal aprovado pelo Conama é o de rerrefino, reciclando cerca de 80% dos óleo original.

Há um Grupo de Monitoramento Permanente (GMP), coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) verificando a aplicabilidade da resolução. As metas são renovadas a cada quatro anos, sendo que a porcentagem ideal para o Brasil é de 60% de rerrefino. Para atingir essa meta, é importante a conscientização da população em fazer a troca do óleo do veículo em lugares credenciados, controlar sua venda em supermercados e impedir o desvio de óleo utilizado como combustível na queima de caldeiras.

 

Posts relacionados

Deixe um Comentário

Posts mais recentes:

Localizador de Produtos
Cloud native
Google Maps
Google Maps
nuvem
Google Maps
Google Cloud
Google Cloud
Google Maps
Google Cloud
Nuvem
Google
Google Cloud
Google lança novos recursos de customização para o Maps no mobile
5 mitos sobre a estratégia multicloud
mariobet - supertotobet -

macbook tamir

- mersin eskort