PAC: energia elétrica termina ano com investimento acumulado de R$ 33,7 bilhões.

por Canal Energia

Estudos de inventário e e de viabilidade receberam aplicação de R$ 262,8 milhões no período 2007-2010.

O Programa de Aceleração do Crescimento conclui seu primeiro ciclo – 2007-2010 – com investimentos de R$ 33,7 bilhões em geração e transmissão de energia elétrica. Em 31 de dezembro terão sido colocados em operação 10.852 MW, somando R$ 26,4 bilhões aplicados. Na área de transmissão serão 9.139 quilômetros de linhas, que receberão investimentos de R$ 7 bilhões. Além disso, estudos de inventário e viabilidade, em um total de 11, estarão concluídos após receberem R$ 262,8 milhões.

O 11º balanço do PAC divulgado nesta quinta-feira, 9 de dezembro, mostra que a primeira fase termina com 16 hidrelétricas (2.586 MW), 57 termelétricas (6.311 MW), 62 PCHs (1.245 MW) e 35 eólicas (710 MW) concluídas. Para os próximos anos ficarão 15.274 MW divididos entre 11 UHEs (8.797 MW). 31 UTEs (6.069 MW), 5 PCHs (78 MW) e 11 eólicas (330 MW). Estão no bolo projetos como Estreito (TO/MA-1087 MW) com 95% das obras concluídas este ano e Dardanelos (MT-261 MW), com outros 92%, que devem entrar em operação em 2011. Além de Angra 3 (RJ-1.400 MW), que está em início de construção com 8% do total terminado, prevista para 2016.

Os grandes projetos estruturantes das hidrelétricas do rio Madeira – Santo Antonio e Jirau – já têm quase 40% das obras concluídas. Por outro lado, devem entrar em operação comercial ainda este ano as termelétricas Candiota III (RS-350 MW) e Atlântico (RJ-490 MW) pertencentes, respectivamente, à CGTEE e à Companhia Siderúrgica do Atlântico.

A hidrelétrica de Belo Monte (PA-11.233 MW) tem andamento considerado adequado pelo balanço do PAC. A perspectiva é que a licença ambiental para a instalação do canteiro seja dada até o dia 22 de dezembro deste ano. Enquanto a instalação dos equipamentos deve começar até 15 de janeiro. Já a hidrelétrica Ribeiro Gonçalves (MA/PI – 113 MW), que está listada para o leilão A-5 do próximo dia 17, está com situação adequada. A emissão da licença prévia do projeto está prevista para até o dia 15, pelo Ibama, e a aprovação do Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica, até o dia 16.

A Empresa de Pesquisa Energética conclui o período do PAC – 2007-2010 – com seis estudos de viabilidade prontos, que apontam potenciais de 14.789 MW. Os trabalhos, que receberam investimentos de R$ 216,5 milhões, incluem os projetos de Belo Monte e Teles Pires. Foram feitos ainda cinco estudos de inventário de rios com 24.736 MW, entre os quais estão Tapajós (14.245 MW), Araguaia (3.100 MW), Juruena (5 mil MW), Tibagi (1.291 MW) e Jari (1.100 MW).

A Aneel aprovou a revisão dos Estudos de Inventário Hidrelétrico da bacia do rio Tibagi, segundo despacho publicado no Diário Oficial de hoje. O ato estava previsto para acontecer no primeiro bimestre de 2011, conforme cronograma do Programa. A medida influi na situação da hidrelétrica Telemâco Borba (PR-120 MW), que é classificada em atenção pelo balanço do PAC.

Transmissão – Na área de Transmissão, foram investidos R$ 7 bilhões em 40 linhas, com 9.139 km, e em sete subestações com 2.700 MVA. Estão em obras outras 24 linhas (5.491 km) e 14 subestações (9.633 MVA), que demandarão mais R$ 7 bilhões, segundo o balanço do PAC. O programa Luz para Todos acumula R$ 6,6 bilhões de investimentos no quatriênio 2007-2010.

Posts relacionados

Deixe um Comentário

Posts mais recentes:

Google Maps
Google Cloud
Nuvem
Google
Google Cloud
Google lança novos recursos de customização para o Maps no mobile
5 mitos sobre a estratégia multicloud
Google Cloud
Google Cloud
Google Cloud
multicloud
Cloud Run: desenvolva aplicações em contêiners sem servidor no Google Cloud
Anthos
Google Next
multicloud