Preços da celulose deixam de cair.

por Folha.com

Após quedas significativas em julho e em agosto, a celulose parou de cair. Neste mês, os preços começam a se estabilizar porque a China voltou às compras.

Principal responsável pelo recuo, os chineses ficaram com estoques reduzidos nos últimos meses e, ao voltarem ao mercado, estão dando sustentação aos preços.

A avaliação é de Carlos Bacha, professor da Esalq/USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, ligada à USP) e do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada).

Segundo ele, a principal queda ocorreu nos preços da fibra curta, que recuou US$ 50 no período. Já a fibra longa teve queda menor, de US$ 30 por tonelada. A tonelada da celulose do tipo fibra curta está sendo negociada a US$ 870, em média, na Europa. A fibra longa está em US$ 973. No mercado interno, os reflexos da queda externa só chegaram a partir do início deste mês.

A celulose parou de cair porque os países europeus também voltaram às compras. Além da recomposição de estoques, a demanda cresce devido ao retorno às aulas, diz Bacha. Apesar da queda de preços, a celulose remunera bem, principalmente o produtor brasileiro, que tem menor custo de produção. Com isso, “o que chama a atenção são os investimentos”.

Mas as indústrias estão desacelerando os investimentos em regiões como São Paulo e buscando áreas com terras de menor valor, como Mato Grosso, Maranhão, Pará, Tocantins e Bahia. Esses novos investimentos, inclusive os do Sul do país, estão sendo feitos, no entanto, sempre próximos a áreas com boa logística de transporte, para tornar o produto brasileiro ainda mais competitivo. Na avaliação de Bacha, são investimentos sem risco porque “a demanda lá fora está aquecida e o Brasil é bastante competitivo”.

Posts relacionados

Deixe um Comentário

Posts mais recentes:

5 mitos sobre a estratégia multicloud
Google Cloud
Google Cloud
Google Cloud
multicloud
Cloud Run: desenvolva aplicações em contêiners sem servidor no Google Cloud
Anthos
Google Next
multicloud
GoogleCloud
DataFlow
Google Maps
Google Cloud
Google Maps