Vendas de Manganês e Nióbio apresentam retomada.

por Valor Econômico

Nas projeções do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), a exploração de manganês enióbio deverá receber investimentos, pela ordem, de US$ 300 milhões e US$ 66 milhões entre 2010 e2014. Utilizados em ligas para a produção de aços especiais, os dois metais devem seguirbasicamente a tendência delineada para o minério de ferro, analisa o gerente de dados econômicosdo Ibram, Antônio Lannes.

Maior produtor e fornecedor de nióbio do mundo e segundo de manganês, o Brasil detémreservas medidas e indicadas de 587,47 milhões de toneladas de manganês, com teor de 40% demetal contido, e é dono das maiores reservas globais de nióbio, estimadas em 842,5 milhões detoneladas de minério, com teor médio de 0,71%, segundo dados do Departamento Nacional deProdução Mineral (DNPM).

Neste ano, aponta Lannes, observa-se uma retomada para os metais de uma forma geral, comforte demanda e recuperação de preços para níquel, cobre, manganês e nióbio, entre outrosminerais, depois do tropeço observado em 2009. As exportações brasileiras de manganês eferromanganês apresentavam crescimento acumulado de 84,7% até setembro, alcançando quaseUS$ 577 milhões, correspondendo ao embarque de 2,15 milhões de toneladas, muito próximo dovolume exportado em 2008, ao redor de 2,31 milhões de toneladas – o mais elevado em toda a sériehistórica do setor até aqui, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

As negociações de nióbio no mercado externo, que representam quase 90% da produçãobrasileira, estão concentradas basicamente nos embarques de ferronióbio. Entre janeiro e setembro,as vendas externas da liga somaram US$ 1,156 bilhão, crescendo 67,5% em relação ao mesmoperíodo de 2009. Em volume, registrou-se um avanço de quase 70%, para 50 mil toneladas. Osmaiores polos de extração e processamento do nióbio encontram-se em Minas Gerais, com 75% dasreservas brasileiras, Amazonas (21%) e Goiás (menos de 4%).

Controlada pelo grupo Moreira Salles, a Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração(CBMM), maior produtora mundial de nióbio, refez-se da retração observada no ano passado,quando a produção e as vendas de óxidos e nióbio metálico haviam caído 25%, para 3 mil toneladas,com tombo de 40% para ferronióbio, de 70 mil para 42 mil toneladas. Os investimentos foramigualmente reduzidos de R$ 125 milhões no ano anterior para R$ 71 milhões. Mas o aquecimentoobservado em 2010, principalmente no setor automobilístico, animou a CBMM a retomar seusplanos.

Iniciado em 2004, o projeto de expansão da planta industrial e da mina em Araxá (MG) deveráser concluído em 2010, num investimento de US$ 400 milhões, o que vai dobrar a capacidade para 90mil toneladas por ano. Neste ano, o investimento total deve girar em torno de R$ 190 milhões a R$200 milhões. A empresa espera investir quase R$ 800 milhões entre 2011 e 2015 em seu complexo,elevando a capacidade para 150 mil toneladas por ano, o que significará mais do que triplicar otamanho da empresa em pouco mais de uma década.

Posts relacionados

Deixe um Comentário

Posts mais recentes:

Valor de frete torna-se diferencial e fator decisivo para que cliente conclua compra
store locator
rastreamento de cargas
aplicativos geolocalização
geolocalização
ship from store
delivery
Store Locator
Pickup in Store Google Maps
Plataforma Google Maps
Google Maps Premier Partner
Como contratar e ter acesso às APIs do Google Maps
Como contratar e ter acesso às APIs do Google Maps
Plataforma Google Maps: o que é e quais benefícios pode trazer para o seu negócio.