Geoambiente está hoje em Brasília para o lançamento do resultado do 4º ano da Moratória da Soja

0 2
A soja é a principal matéria-prima do agronegócio brasileiro e remeteu ao País o título de segundo maior produtor mundial do grão.

Neste dia 13/10 às 10 horas da manhã a diretora da Geoambiente Izabel Cecarelli estará em cerimônia em Brasília com a ministra do meio ambiente Izabela Teixeira e várias autoridades do mundo do Agronegócio e ONGs ambientais para o lançamento do resultado do 4º ano da Moratória da Soja.

A Moratória é um acordo feito pelos produtores de soja para não comercializar soja plantada em área desmatada após 2008. A ABIOVE, Associação Brasileira das Indústrias de Óleo Vegetal contrata o INPE e a GEOAMBIENTE para realizar o monitoramento destas áreas.

A Moratória da Soja no bioma Amazônia foi renovada pela quarta vez em 8 de julho de 2010 e manteve o compromisso das indústrias e exportadores associados à ABIOVE e à ANEC de não adquirirem soja oriunda de áreas desflorestadas no bioma Amazônia a partir de julho de 2006.

Para este quarto monitoramento, o Grupo de Trabalho da Soja – GTS, que é formado por pelas empresas associadas da ABIOVE e ANEC, Ministério do Meio Ambiente, Banco do Brasil e organizações da sociedade civil (Conservação Internacional, Greenpeace, IPAM, TNC e WWF-Brasil), acordou em continuar com a parceria com o INPE para aplicar uma metodologia que utiliza imagens de satélites, especialmente desenvolvida para detectar a presença de culturas agrícolas em áreas desflorestadas. Com o objetivo de gerar informações seguras sobre a atual participação da sojicultura no processo de desflorestamento do bioma Amazônia, também foram utilizadas as bases de dados da FUNAI, IBAMA, IBGE, IMAZON e INPE.

A empresa Geoambiente Sensoriamento Remoto Ltda foi contratada para identificar, caracterizar e dimensionar o uso e a ocupação da terra nas áreas pré-selecionadas pelo INPE. A partir de sua experiência em projetos de mapeamento temático foi criada metodologia específica de aerolevantamento que permite identificação e quantificação de cultivos agrícolas, em especial a soja. Para consolidar as informações também foram realizadas vistorias em campo e busca de documentação legal para identificação de propriedades rurais.

A partir da interpretação das imagens de satélites e da validação realizada por meio de fotografias aéreas, foi possível identificar a presença de soja em 11.698 hectares (ha) desflorestados após julho de 2006. Neste mesmo período, foram desflorestados 4,19 Mha em todo bioma Amazônia, dos quais 2,97 Mha (71%) se encontram nos três estados produtores de soja e destes 0,37 Mha se encontram nos municípios produtores de soja.

A área de soja em desflorestamentos ocorridos no bioma Amazônia, no período da Moratória, corresponde a 0,28% de todo desflorestamento, 0,39% do desflorestamento nos três estados produtores de soja e 3,1% do desflorestamento nos municípios produtores de soja. O Brasil tem uma área de 24,1 Mha de soja da qual 1,94 Mha está no bioma Amazônia. A área de soja em desflorestamentos do período da Moratória corresponde a 0,05% do total da área de soja no Brasil e a 0,6% da área de soja no bioma Amazônia.

Estarão no evento a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais – ABIOVE, Carlo Lovatelli, o Diretor Geral da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais – ANEC, Sergio Mendes, o coordenador técnico do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, Bernardo Rudorff e o coordenador da campanha de Amazônia do Greenpeace Brasil, Paulo Adario.

Posts relacionados

Deixe um Comentário

Posts mais recentes:

Google Maps
Google Cloud
Nuvem
Google
Google Cloud
Google lança novos recursos de customização para o Maps no mobile
5 mitos sobre a estratégia multicloud
Google Cloud
Google Cloud
Google Cloud
multicloud
Cloud Run: desenvolva aplicações em contêiners sem servidor no Google Cloud
Anthos
Google Next
multicloud